terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Exposição Coletiva Álbum na FCB


Sem título, Talita Esquivel

O retrato e o auto-retrato são os temas da exposição coletiva Álbum com abertura na quarta-feira, dia 16, às 19 horas, na Fundação Cultural Badesc em Florianópolis. É a última mostra do ano da fundação e reúne fotomontagem de Cássio Ferraz, pinturas de Talita Esquivel e Mônica Priori, e vídeo de Noah Kalina.
Segundo a curadora de Álbum, Fran Dossin, mestranda em artes visuais pela Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), "A investigação poética desta exposição varia do conceitualismo ao humor pictórico, da criação de um novo Eu à cavaduras de memórias e lembranças familiares."
Cássio nasceu em São Paulo, mas cursou artes plásticas na Udesc. Na exposição, Álbum ele participa com a obra Yo, onde uma fotografia antiga de sua família é manipulada e o resultado aproxima-se da pintura. A foto utilizada no trabalho retrata a infância de Cássio durante a comemoração de seu aniversário. Na montagem, partes de seu corpo, principalmente a boca, é sobreposta à forte e imponente imagem de seu pai. Atualmente, Cássio trabalha no leste Europeu desenvolvendo proposições artísticas.
Talita é paranaense e cursa mestrado na Udesc. Sua obra é um tríptico de três auto-retratos, pintados com óleo sobre tela, e com dimensão de 0,80m x 2,40m. Já foi professora e atualmente dedica-se à pesquisa e à produção artística. Mônica Priori nasceu em São Paulo, mas vive no Ribeirão da Ilha, em Florianópolis. A artista utiliza tinta pva sobre papel jornal para retratar personagens com expressões de drama e muitas vezes de indiferença.
Noah Kalina é norte-americano e vive em Nova York. É graduado em fotografia pela School of Visual Arts. Nesta exposição apresenta o trabalho "Everyday", uma obra que possui uma trajetória de exposições, teve uma resenha no jornal New York Times e uma paródia no desenho animado Simpsons. O vídeo aborda a auto-imagem através de novas mídias e o YouTube como espaço auto-reflexivo para milhões de usuários, onde o vídeo está com quase 14 milhões de acesso.
Para realizar Everyda, Noah tirou uma foto de si mesmo todos os dias durante 6 anos. (http://www.youtube.com/watch?v=6B26asyGKDo)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Projeto MusicAção e Corais de Natal


Coral de Natal de 2008.

Amanhã, dia 11 de dezembro, o Projeto MusicAção da FCB abre a temporada de apresentações de Corais de Natal. As crianças do projeto se apresentam com regência de André Franzoni às 17h na sacada da FCB.
Na semana que vem, de 14 a 18 de dezembro sempre às 18h, irão acontecer apresentações do Corais das Escolas Municipais de Florianópolis com regência de Jackson Cardoso. Haverá também participação especial do ator Eduardo Bolina como Mané Noel.
Estão todos convidados a assistirem as apresentações no jardim da Fundação.
Escolas de Florianópolis participantes:
E.B. Mariana Conceição (Rio Vermelho)
E.B. Acácio G. São Thiago (Barra da Lagoa)
E.B. Henrique Veras (Lagoa)
E.B. João Gonçalves Pinheiro (Rio Tavares)
E.B. Brigadeiro E. Gomes (Campeche)
E.B. Anísio Teixeira (Costeira)
E.B. Beatriz Souza Brito (Pantanal)
E.B. Almirante Carvalhal (Coqueiros)
E.B. Maria Tombázia (Ponta das Canas)
E.B. Almirante Archmedes (Cachoeira)
E.B. Osmar Cunha (Canasvieiras)
E.B. Gentil Mathias (Ingleses)
E.B. Mâncio Costa (Ratones)
E.B. Paulo Fontes (Santo Antônio)

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

O Anjo ao Contrário


A Fundação Cultural Badesc lança na quarta-feira, dia 9, às 19h30, o livro O Anjo ao Contrário, de André Ramos e Nadir Ferrari. Com uma edição luxuosa, o livro exibe música e paisagem. São poemas inéditos de André Ramos com pinturas originais de Nadir Ferrari. Mas os poemas não foram escritos para descrever as pinturas. Nem as pinturas foram feitas para ilustrar os poemas. O Anjo ao Contrário contém duas obras independentes que foram unidas em livro. Os poemas e as pinturas se permeiam como dois líquidos. André faz uma poesia rimada, coloquial, sobre o cotidiano e Nadir exibe uma pintura minimalista, caligráfica, nascida da tradição japonesa do sumi-ê. "Os traços suaves e sóbrios da arte milenar japonesa têm, em nuances de negro, o movimento necessário para ora contrastar, ora acentuar a delicadeza, a densidade ou a estranheza de um dos muitos poemas deste livro cosmopolita", escreve Tânia Piacentini na apresentação da obra.

André Ramos nasceu em Lages, mas passou a maior parte de sua vida em Florianópolis, onde veio morar ainda criança com seus pais e quatro irmãos. Graduou-se em agronomia pela Universidade Federal de Santa Catarina, onde atua, desde 1992, como professor e pesquisador da Divisão de Genética. André publicou dois livros de poesia: Lata de Banha, pela prefeitura de Lages, em 1986, e De Nariz na Vidraça, pela Editora da UFSC, em 1994, ambos com suas edições esgotadas. Em vários de seus poemas, expressa a influência forte e mesclada das terras onde viveu: os campos de Lages, a Ilha de Santa Catarina, Nova Scotia no Canadá e Bordeaux na França.

Nadir Ferrari nasceu em Arapongas, Paraná e também vive em Florianópolis. Pinta desde os 11 anos de idade. Fez graduação na Universidade Estadual de Londrina, mestrado na Federal do Paraná, doutorado em Oxford, e fez uma carreira científica e docente na UFSC, como geneticista, entremeando incursões na literatura e nas artes plásticas. Durante uma licença da UFSC, no início da década de 90, atuou de forma profissional com pintura, gravura e um pouco de literatura, em Rennes, França. Ao se aposentar, em 2006, retornou de forma mais regular a pintura, leitura e escrita, o que possibilitou este projeto com André Ramos.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Piloto de Bernunça



Sérgio da Costa Ramos lança o livro Piloto de Bernunça dia 24, às 18h30, na Fundação Cultural Badesc. São 62 crônicas, a maioria delas publicada no Diário Catarinense e algumas inéditas. Piloto de Bernunça é dividido em seis partes: Para entender Floripa, Glamour Mané, Um Réquiem de Prosa, Domingo de Ramos, Cuspido e escarrado e Passando a régua. "O fio condutor é o bom humor e o assunto são os usos e costumes, modos e maneiras da cultura mané, a língua, e o jeito manezinho de apelidar todo mundo", resume o autor.O livro é repleto de participações. A capa, feita sobre uma pintura de Vera Sabino, é de Vinícius Alves, da Bernúncia Editora, baseado numa ideia de George Alberto Peixoto, o "Picolé". Tem prefácio do escritor Deonísio Silva e pósfacio do também escritor Raul Caldas Filho. O pianista Arthur Moreira fez o texto da orelha. Nas páginas da publicação há sete ilustrações de Dante Mendonça, que serão expostas na noite de autógrafos."A universalidade da coisa local, quando narrada diretamente pela sensibilidade, não pode ser destruída por nenhuma famigerada globalização. Ao contrário, parece que, em muitos casos, a globalização não mata, e sim aguça as culturas locais, provocando o cavaleiro andante que hiberna na alma atenta ao valor de sua cultura", reflete Moreira Lima na orelha da publicação.No prefácio, o escritor Deonísio Silva aguça a curiosidade dos leitores pelo léxico mané ao resgatar das crônicas de Sérgio expressões como: “mofas com a pomba na balaia”, “arrombassi, Laíla”, “se é segredo não me contes, se é intriga não me digas”, “djá hoch”, “garrou a dizê”, “criô nojo”, “arrengou-se”. Por fim, o escritor Raul escreve que mesmo as crônicas mais factuais de Sérgio estão repletas de frases inteligentes e achados espirituosos. E diz: "Nostálgico de carteirinha, às vezes nos convida a um passeio na máquina do tempo, rememorando épocas mais amenas (ou que hoje assim nos pareçam), especialmente dos anos 1950-1960 na velha Floripa, décadas da sua infância e juventude".

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Fundação Badesc lança Batuque bem temperado,de Flávio José Cardozo e Jair Francisco Hamms



A Fundação Cultural Badesc lança na quarta-feira, dia 18, a partir das 19h30, o livro Batuque bem temperado, de Flávio José Cardozo e Jair Francisco Hamms, publicado pela editora Insular e Academia Catarinense de Letras. São crônicas publicadas em jornais. As do Flávio, no Diário Catarinense, principalmente, e as do Jair, no jornal O Estado e no Jornal de Santa Catarina.Ambos membros da Academia Catarinense de Letras, os dois escritores fizeram uma seleção pessoal, mas um dos pontos fundamentais que une a maioria dos textos é o humor. E o humor é o tom essencial da crônica. O detetive de Florianópolis, de Jair, um dos textos escolhidos. Na narrativa, o personagem principal, ao se ver desempregado, vai exercer a profissão de um detetive bem ao espírito ilhéu, irreverente e gozador.Flávio atribui à crônica um papel de humor, de lirismo e de divertimento. "A crônica é um texto leve, curto, sem maiores pretensões, que muitas vezes faz o papel de chamar mais leitores para a literatura", diz ele.

Dois trechos do livro nos quais um autor fala do outro:

Flávio José Cardozo, na crônica Entrevista com a mulher que o Jair mandou
"Às três e trinta, com apenas hora e meia de atraso, ela chegou. Não era bem como eu a havia imaginado, gordinha e nos seus vinte e dois anos, nem como a imaginou minha mulher, ossuda e com pelo menos cinquenta. Desde que o Jair, sabedor de nossas pretensões, me disse que tinha falado com uma tal de Leocádia e que ela estaria conosco amanhã às duas em ponto para trocar idéias sobre o assunto, ficamos a desenhá-la mentalmente. Minha mulher chegou a vê-la em sonho, vestida de verde e com uma estrela na cabeça. Eu, mais moderado, apenas esperei, confiando que o bom Deus nos dava enfim uma grande oportunidade. E ali estava ela: Dona Leocádia, nem gorda nem magra, quarentas anos prováveis, vinte vezes mais feia que bonita, mas nada disso interessava, pois mesmo que estivéssemos diante da suprema feiúra do universo nós a faríamos entrar festivamente.- O Dr. Jair pediu que eu viesse aqui.- O Jair é um santo amigo, poxa"

Jair Francisco Hamms, na crônica Um bombardeiro azul
"Sabes, Flávio, naquele tempo, a gente dizia assim: quando eu for grande, quero ser tal coisa. Variava muito: aviador, bombeiro, médico, sargento da polícia, barbeiro, advogado, chofer de ônibus, professor, sapateiro. Por exemplo: o Chico sonhava ser goleiro do Figueirense; o Dagmar, que era canhoto, queria ser ponta-esquerda do Avaí. Já o Joca, muito esganado, queria ser o dono da Padaria Brasil só para que, dia e noite, enchesse o pandulho de doce, empada, cocada.Era época da guerra. Bombardeios na Inglaterra, bombardeios na Itália, bombardeios na Alemanha. Chovia bombas na Europa. Havia uma revista, chamada Em Guarda − lembras, não é? − que estampava fotos de simpáticos e sorridentes aviadores ianques, vestindo roupas de couro, toucas de couro e com óculos reluzentes. O Xandoca queria ser aviador, Flávio"

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Edital de Exposições 2010


Regulamento para apresentação de propostas para Exposições no Espaço Fernando Beck da Fundação Cultural Badesc



1.Participação

A participação para o calendário de exposições individuais ou coletivas da Fundação Cultural BADESC é aberta a diferentes linguagens visuais.Poderão participar do processo de seleção artistas de todas as nacionalidades.Não poderão inscrever-se para o presente edital membros da Comissão de Seleção, parentes e funcionários da Fundação Cultural BADESC e artistas que expuseram no último ano na instituição.

2.Inscrições
As propostas deverão ser encaminhadas de 10 de novembro de 2009 a 15 de janeiro de 2010, em envelope lacrado e identificado da seguinte forma:
Edital de Exposições
Fundação Cultural BADESC – Rua Visconde de Ouro Preto, 216 Centro.
CEP: 88020-040 – Florianópolis, SC
Telefone: (48) 3224-8846
Deverão obrigatoriamente constar na inscrição:
* Ficha de inscrição preenchida e assinada (disponível no fim do post);
* Currículo artístico;
* Proposta contendo as seguintes informações:
- Descrição detalhada (máximo 2 laudas).
- Objetivos (máximo 1 lauda)
- Justificativa (máximo 2 laudas)
- Fotos ou imagens impressas (com boa resolução) dos trabalhos a serem expostos ou projeto detalhado das obras a serem produzidas (incluindo esboço gráfico). As imagens devem ser identificadas com título, técnica, dimensões e data. Obras audiovisuais deverão ser encaminhadas em DVD ou CD na íntegra.
* Texto resumido sobre a exposição e imagens digitalizadas dos trabalhos em CD.
A proposta deverá levar em consideração o espaço expositivo, cuja planta consta em anexo.
Serão anuladas as inscrições que não atenderem aos termos do presente regulamento.

3.Seleção
A análise das propostas estará a cargo de uma Comissão de Seleção, composta por membros de reconhecida idoneidade e notório conhecimento na área, convidada pela Fundação Cultural BADESC, que prioritariamente analisará o conteúdo dos projetos e currículos.
No caso de projetos de autoria coletiva, recomenda-se indicar um representante para que possa ser contatado quando necessário.As decisões da Comissão são soberanas e irrevogáveis, não cabendo recurso nem apelação;

4.Resultado da seleção
O resultado da seleção será divulgado no site http://www.fcbadesc.blogspot.com/.
Os selecionados receberão um comunicado por escrito.
Os artistas não selecionados terão o prazo de 45 dias, após a divulgação da seleção, para retirada do material na Fundação Cultural BADESC. Após este prazo os projetos serão descartados.
Caso o proponente queira receber o projeto via correio, deverá anexar envelope selado.
As propostas seladas serão devolvidas pelos correios, não se responsabilizando a Fundação Cultural BADESC por possíveis extravios e/ou danos.
Os artistas selecionados deverão comparecer na Fundação Cultural BADESC para assinatura de termo de responsabilidade, no prazo máximo de 10 (dez) dias contados a partir da data de recebimento do comunicado de seleção.

5.É de responsabilidade da Fundação Cultural BADESC
Os artistas selecionados pela comissão terão a sua disposição:
Espaço físico para a realização da exposição.
Produção da exposição.
Coquetel na abertura.
Assessoria técnica de montagem e desmontagem das exposições.
Divulgação institucional e promocional com distribuição de informes aos veículos de comunicação do Estado.
Produção e impressão de convites padrão.
A segurança das obras durante o período da exposição.
Projeto educativo e mediação aos grupos visitantes.

6. É de responsabilidade do(s) artista(s)
Respeitar o calendário estabelecido pela Fundação Cultural BADESC e cumprir o compromisso assumido no ato da inscrição de expor as obras constantes no projeto selecionado.
Fazer chegar a Fundação Cultural BADESC, por conta própria, as obras a serem expostas, cujos custos com transporte e embalagem correm por conta exclusiva do artista.
Contrato de seguro das obras expostas, se assim o artista desejar, é por sua conta.
Entregar à Fundação Cultural BADESC as obras a serem expostas com no mínimo 1 (uma) semana de antecedência à data de abertura da exposição.
Retirar os trabalhos no prazo mínimo de 10 (dez) dias, arcando com os custos de transporte e embalagem que se fizerem necessários.
Ceder à Fundação Cultural BADESC, para integrar seu acervo, uma das obras constantes na exposição.

7. Disposições gerais
A inscrição implica na automática e plena concordância com os termos deste Regulamento.
Em concordância com o artista proponente, a Coordenação da Fundação Cultural BADESC determinará o período da exposição; este poderá indicar o mês de sua preferência.
Havendo divergência entre o projeto aprovado e o apresentado, a Coordenação da Fundação Cultural BADESC se reserva o direito de tomar as providências cabíveis.
Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão de Seleção e pela Diretoria da Fundação Cultural BADESC.



ESPAÇO PARA EXPOSIÇÃO Planta Baixa:


Clique na imagem para ampliar.

Características:


• Espaço Físico de 89m² com pé direito de 3,45m de altura
• Painéis em MDF brancos sobre as paredes até altura de 2,85 não perfuráveis
• 2 painéis móveis com 2m de altura por 1,80m de comprimento
• 2 cubos brancos com dimensões de 80×50×50cm e 100× 50× 50cm
• 1 Datashow/ DVD player/ Áudio
• Sistema de iluminação com luminárias direcionáveis, fixadas em trilhos suspensos com lâmpadas tipo PAR e HALOSPOT
• Ambiente Climatizado
• Sistema de Vigilância eletrônica e com vigilante, disponível 24h.

Ficha de Inscrição

Clique na imagem para ampliar.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Cinema Francês em novembro na FCB


O último ciclo do ano do cinema francês na Fundação Cultural Badesc exibe uma cinematografia eclética. Promovido em parceria com a Aliança Francesa, o programa reúne filmes contemporâneos com curtas do anos 50, 60 e 70. Há animações, documentários e ficções. No dia 16 entra em cartaz Decididamente Animados, uma série do melhor do cinema de animação francês. Entre os selecionados, Os Três Inventores (foto), de 1980, curta de estreia de Michel Ocelot. O diretor foi homenageado em julho na 8ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis.Para o dia 23 estão previstos duas ficções. África sobre o Sena, rodado na França e no Senegal em 1957, de Mamadou Sarr e Paulin Vieyra, faz uma reflexão sobre a França colonialista e o premiado O Wazzou Polígamo, de Oumarou Ganda, de 1970, sobre os dramas da cultura mulçumana.No dia 30, serão apresentados três curtas também de ficção. Paris é bonita!, de Inoussa Ousseini, de 1974, aborda a vida de um africano em Paris; Os príncipes negros de Saint Germain de Pres, de 1975, exibe jovens brancas exercitando seu erotismo com homens negros; e Os cowboys são negros, de Serge-Henri Moati, realizado em 1966, que conta a história da filmagem de O Regresso de um Aventureiro, primeiro western africano.
Dia 16
Decididamente Animados/ Do Curta ao Longa (França, selecionados em 2008).Animação em Cores. Duração 64min
O ladrão de pára-raios (Le voleur de paratonnerres), de Paul Grimault (10min)Os caramujos (Les escargots), de René Laloux (11min)Um coração para emergências (Coeur de secours), de Piotr Kamler (9 min)Port’ e a Filha das Águas (Port’ et la Fille des Eaux), de Jean-François Laguionie (12min)Os três Inventores (Les Trois inventeurs), de Michel Ocelot (13 min)O Pequeno Circo de Todas as Cores (Le Petit Cirque de Toutes Les Couleurs), de Jacques-Rémy Girerd (7 min)Tudo Bem, Tudo Bem (Ça va, ça va), de Sylvain Chomet e Philippe Leclerc (3 min).

Memórias|Sairómem a partir do dia 12 na FCB



O artista plástico Juliano Zanotelli abre a exposição MemóriasSairómem na quinta-feira, dia 12 de novembro, às 19 horas, na Fundação Cultural Badesc. Sairómem é anagrama exato de Memórias e cumpre a função de refletir para dentro de cada um as lembranças da infância.A mostra é interativa, com trabalhos baseados em jogos reais, em que os espectadores poderão jogar. O Dominó, por exemplo, é composto por 28 peças, assim como no original. Mas, ao invés de apresentar os números entre 0 a 6, o artista utiliza fotografias de brinquedos para formar as mais diversas combinações.
O Jogo de Damas de Zanotelli apresenta as 64 casas num tabuleiro quadriculado e 12 peças para cada jogador. Só que as peças preto e branco são substituídas por estampas distintas, uma delas com um cavalo Playmobil.
A Trilha, também conhecida por Moinho, segue o mesmo esquema do jogo original. O tablado em preto e branco é trocado por uma superfíce imaginária e suas nove peças são diferenciadas por imagens distintas. No Jogo da Velha o "x" e o "círculo" saem de cena e fotografias de dois bonecos de Playmobil assumem a função. Já Os Jogos da Memória são apresentados em uma espécie de quadro/mural com uma disposição fixa, mas podem ser reinventados segundo a imaginação dos espectadores. Na concepção de Zanotelli este jogo não possui pares coincidentes, mas sim fotos semelhantes.
A recorrência da infância tem ainda outros suportes na mostra MemóriasSairómem. Na exposição será apresenta a ‘personagem’ da vaquinha no barril em duas abordagens. Em uma delas, o brinquedo aparece dentro de uma caixa de acrílico em tamanho real e noutro em uma fotografia gigante, caracterizando a imponência que a imagem pode adquirir na memória dos visitantes.
Zanotelli nasceu em 1982 em São Miguel do Oeste, mas vive em Chapecó. É graduado em jornalismo pela Universidade do Contestado (UnC), de Concórdia, e pós-graduado em linguagens contemporâneas e novas tecnologias e em criatividade: artes e tecnologias pela Unochapecó, de Chapecó.Selecionado pelo edital da Fundação Badesc esta é a quarta vez que ele apresenta o seu trabalho fora da cidade onde vive.
Zanotelli foi premiado no 3º Salão de Novos Artistas de Chapecó e na 2ª e 4ª Maratona Fotográfica da Cidade de Chapecó. Em janeiro deste ano, participou da coletiva O Espelho no Acervo, no Museu de Arte de Santa Catarina, em Florianópolis. E em setembro da primeira edição do Projeto Panorama de Artes Visuais do SESC em Jaraguá do Sul. No mês de novembro o artista participa da segunda edição do Projeto Panorama de Artes Visuais do SESC em Chapecó.

Livros de LLeal



A Fundação Cultural Badesc lança na quarta-feira, dia 11, às 19h, os livros Writing On and English Grammar as Well, um volume de 800 páginas sobre gramática e técnicas de escrita em inglês e O Tradutor, um romance, ambos de Luis Carlos Binotto Leal. O romance O Tradutor também possui um perfil didático e narra o cotidiano de um estudante de inglês e suas dificuldades em aprender um segundo idioma. Com pitadas de humor, uma professora é quem esclarece o real significado e formas de traduções e mostra as cacracterísticas e variantes do processo de aprendizado.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Último Chá, Cinema e Cultura do ano



No último encontro de 2009 do Cinema, Chá & Cultura, na Fundação Cultural Badesc, sexta-feira, dia 6 de novembro, às 18 horas, será exibido Desejo e Reparação (Atonement, 2007), de Joe Wright, adaptação do romance de Ian McEwan. Embora não seja um filme baseado em uma peça teatral – foco habitual do projeto –, nesta história, a habilidade de fantasiar e criar cenas de uma jovem aspirante a dramaturga tem um papel determinante na narrativa.
Em 1935, no dia mais quente do ano na Inglaterra, Briony Talles (interpretada em três diferentes momentos por Saorsi Ronan, Romola Garai e Vanessa Redgrave) e sua família se reúnem num fim de semana na mansão familiar. O momento político é de tensão, por conta da 2ª Guerra Mundial. Em meio ao calor opressivo emergem antigos ressentimentos familiares. Cinco anos antes, Briony, então aos 13 anos, usa sua imaginação de escritora principiante para acusar Robbie Turner (James McAvoy), o filho do caseiro e amante da sua irmã mais velha, Cecília (Keira Knightley), de um crime que ele não cometeu. A acusação alterou de forma dramática várias vidas.
O mesmo diretor de Orgulho e Preconceito trabalha com ligações entre ficção e realidade, por meio das trajetórias de Cecilia (Keira Knightley) e Robbie (James McAvoy), mostradas sob diferentes ângulos. Vencedor do Oscar de melhor trilha sonora e do BAFTA de melhor filme, além de várias outras indicações, Desejo e Reparação será apresentado por Anelise Reich Corseuil, graduada em letras pela UFSC, e pós-doutora em Estudos de Cinema no Departamento de Estudos de Televisão, Teatro e Cinema da Universidade de Glasgow (Escócia).
Promovido pela Fundação Badesc e pela Cultura Inglesa de Florianópolis, Cinema, Chá & Cultura é um projeto dedicado à exibição de filmes relativos a obras literárias da tradição anglófona. A atividade é gratutita e se inicia com uma conversar em torno do chá, feito ao modo inglês. Filme legendado. Nesta última sessão de 2009 será sorteada entre os presentes uma bolsa de estudos para um curso intensivo de verão na Cultura Inglesa de Florianópolis.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Workshop Toucinho Batera + Doc Sistema de Animação




A Fundação Cultural Badesc promove na terça-feira, dia 3 de novembro, a partir das 16h30, um workshop com Lourival José Galliani, o Toucinho. Após a oficina, às 19 horas, será exibido o documentário Sistema de Animação, de Alan Langdon e Guilherme Ledoux, que narra a vida do músico.

Durante o workshop, Toucinho vai trabalhar musicalidade, ritmo e improvisação com os participantes. O desfecho será feito com um show de músicos amadores e profissionais já que Toicinho vai estar muito bem acompanhado, além de sua bateria.O músico pretende fazer uma oficina despojada e vai contar com a partipação de Fábio Carlesso e Rogério Piva na guitarra; Sérgio Guimarães no violão e voz; Gian Thomasi no sax; Carlos Ribeiro Júnior no contrabaixo; e a cantora Juju Moura, que Toucinho considera a "sucessora de Neidemariarrosa".

Após a oficina, será exibido Sistema de Animação com a presença dos diretores e do produtor Zé Rafael Mamigonian. A sessão na Fundação Cultural Badesc marca ao lançamento do longa no Estado. Depois de Florianópolis, entra no circuito do Sesc e será exibido de 9 a 14 de novembro nas cidades de Joinville, Jaraguá do Sul, Florianópolis, Criciúma, Lages e Chapecó.

Captado e montado com espontaneidade e uma beleza crua, Sistema de Animação é um documentário realizado durante quatro anos. Durante este período, Alan e Ledoux fizeram imagens do músico, mergulhando na musicalidade e na filosofia do baterista.

Feito sem nenhum apoio financeiro e com orçamento praticamente nulo para um longa-metragem, o filme acompanha uma variedade de situações inusitadas e transformações pessoais do personagem.

Entrevistas e materiais de arquivo complementam o retrato de Toucinho com memoráveis histórias de sua excêntrica e inusitada carreira num filme com 79 minutos de duração. Há também articipações de personalidades do meio musical como Nenê Batera, Alegre Corrêa, Gringo Saggiorato, Alessandro“Bebê” Kramer, Cássio Moura, Luiz Meira e Guinha Ramires.
Em 2009, o documentário foi eleito Melhor Filme e Toucinho foi Menção Honrosa ao Personagem na Mostra do Filme LIvre, festival carioca realizado desde de 2002. No ano passado, Sistema de Animação recebeu Menção Especial da Crítica Especializada no 5º Catarina Festival de Documentários.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Edital de Natal FCB



Para decorar a sede da Fundação Cultural Badesc para o Natal, foi lançado um edital que busca selecionar uma proposta criativa para enfeitar a casa para a festa natalina. A casa é tombada pelo patrimônio histórico municipal e foi residência de um dos políticos mais influentes do Estado, Nereu de Oliveira Ramos. Sua construção é do final da década de 1920 e possui arquitetura eclética e arte decó.
A FCB contemplará a ideia escolhida com o prêmio de R$1000,00. As inscrições vão até o dia 10 de novembro. Abaixo o edital na íntegra e a ficha de inscrição, que podem ser retirados na Fundação Cultural Badesc.

REGULAMENTO PARA A APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS
Decoração Natalina da Fundação Cultural BADESC

1. PARTICIPAÇÃO
1.1. A participação para a Decoração Natalina da Fundação poderá ser individual ou coletiva e aberta as diferentes linguagens visuais;
1.2. Poderão participar do processo de seleção: artistas, estudantes e o público em geral
1.3. Não poderão inscrever-se para o presente Edital membros da Comissão de Seleção
2. INSCRIÇÕES
2.1. As propostas a serem analisadas deverão ser encaminhadas no período de 21/10 à 10/11 de 2009, em envelope lacrado para:
Fundação Cultural BADESC
Rua Visconde de Ouro Preto, 216 – Centro
88020 – 040, Florianópolis – SC
2.2. A inscrição será feita através de ficha própria (em anexo), preenchida e assinada
2.3. As propostas deverão conter além da ficha, o Projeto Detalhado
3. APRESENTAÇÕES DAS PROPOSTAS
Os projetos devem ser encaminhados em visualização digital (DVD, VHS e CD-ROM)
4. DO PROJETO
As propostas deverão conter orçamento preliminar, como os custos de material e execução, sendo que estes não deverão ultrapassar o valor de R$ 5.000,00 (Cinco mil reais)
5. SELEÇÃO
5.1 A análise das propostas será feita pela Diretoria Executiva da Fundação Cultural BADESC, que analisará criteriosamente o conteúdo apresentado.
5.2 As propostas devem ser aprovadas na íntegra;
5.3 No caso de projetos de autoria coletiva recomenda-se indicar um representante para que possa ser contratado quando necessário
5.4 As decisões da Comissão são soberanas e irrevogáveis, não cabendo recurso nem apelação.
5.5 Todas as propostas serão analisadas dentro dos seguintes critérios: visibilidade, criatividade, inovação e o melhor projeto adequado as características e originalidade da casa;
5.6 As peças da decoração (ou projeto) deverá(ão) conter enfeites natalinos como motivo principal;
5.7 A decoração deverá ser feita na fachada da casa e nos jardins, preservando a arquitetura da casa, uma vez que a mesma é tombada pelo patrimônio histórico municipal.
6. PRÊMIO
6.1 O autor da melhor proposta ganhará o prêmio de R$ 1.000,00 (um mil reais);
6.2 O resultado da seleção será comunicado por escrito ao interessado
6.3 O vencedor deverá acompanhar a montagem do projeto
6.4 O vencedor selecionado deverá confirmar sua presença junto a Fundação Cultural BADESC, através de assinatura de Termo de Responsabilidade, no prazo máximo de 10 (dez) dias contados a partir da data do recebimento do comunicado de seleção.
7. É DE RESPONSABILIDADE DA FUNDAÇÃO CULTURAL BADESC:
Assessoria técnica de montagem e desmontagem da decoração, com acompanhamento do ganhador do prêmio.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Espírito de Porco no Cineclube FCB


Amanhã, quinta feira (22) o documentário Espírito de Porco, de Chico Faganello e Dauro Veras, estréia em Florianópolis.

O Cineclube da Fundação Cultural Badesc oferece três sessões:

Quinta-feira 22 às 19h (Lotada)
Sexta-feira 23 às 19h
Sábado 24 às 17h

No documentário, um porco narra sua própria história e nega que sua espécie seja responsável pela poluição e pelas crises da suinocultura industrial, e demonstra que a responsabilidade pelas desgraças é dos seres humanos.

Para garantir seu ingresso para as sessões de sexta e sábado, basta enviar um email para espiritodeporcofilme@gmail.com com o nome e data escolhida (23 ou 24). Aguarde a resposta contendo um ingresso virtual que confirma a reserva. Não é necessário imprimir o ingresso.
No blog de lançamento do doc você encontra textos e mais informações sobre Espírito de Porco.

terça-feira, 20 de outubro de 2009


A Fundação Cultural Badesc e o Museu de Arte de Santa Catarina lançam no dia 21 de outubro, quarta-feira, às 19 horas, o livro Melhores Poemas de Lindolf Bell, com seleção de Péricles Prade e publicação da editora Global. É a antologia mais completa do autor de "O Poema das Crianças Traídas", já que a edição de duas seleções anteriores foram realizadas em 1967 e 1968, ainda na fase inicial do poeta.
Durante a noite de autógrafos, haverá exibição do documentário Palavra a Palavra, de Bhig Villas Bôas; e interpretação de poemas de Lindolf Bell (1938-1998) por Dennis Radünz com a participação de Flora Holderbaum ao violino. Escritor, crítico literário e advogado, Péricles fez uma organização dos poemas segundo uma ordem cronológica para oferecer uma maior compreensão da trajetória de Bell. Nos textos de introdução, Péricles remete os leitores à síntese de uma fortuna crítica em torno da obra, numa longa relação de autores que inclui Claudio Willer, Donald Schüller, Lauro Junkes, Carlos Felipe Moisés e Carlos Drummond de Andrade.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Chá Cinema e Cultura - Edição Especial Margaridas


Nessa sexta feira,16, a parceria entre a Fundação Cultural Badesc e a Cultura Inglesa completa 1 ano. Para comemorar o Chá Cinema e Cultura exibe Hair(1979) de Miles Formam e traz a atriz Margarida Baird para uma conversa sobre o filme. A convidada atuou em várias produções brasileiras nos anos 60 e 70, fazendo parte da história da dramaturgia brasileira no Teatro Oficina, Teatro de Arena, Teatro Opinião e Ópera do Malandro. Na foto acima Margarida Baird no filme Campeonato de Pescaria.
O evento entra no clima de primavera e oferece aos participantes margaridas e chá gelado.
Sobre o filme: Realizado em 1979, há exatos 30 anos, Hair é uma adaptação da peça homônima, cujo tema é um grupo de hippies no contexo da guerra do Vietnã.No filme, o jovem interiorano Claude, vivido por John Savage, chega a Nova Iorque onde pretende se alistar para a guerra do Vietnã. Ao desembarcar, ele conhece um grupo de hippies no Central Park e se apaixona pela bela Sheila (Beverly D'Angelo). Claude fica amigo de Berger, o líder pacifista dos hippies (Treat Williams), que o convida para irem, de penetras, na festa de Sheila para que o rapaz possa declarar seu amor.A peça estreou em 1967, com textos e canções escritas por James Rado e Gerome Ragni, e música de Galt MacDermott e ganhou o Grammy em 1969 por sua trilha sonora, tornando-se um dos ícones da contracultura e revolução sexual, com milhares de apresentações nos Estados Unidos e na Inglaterra.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Nazarin, Buñel

O Cineclube FCB exibe hoje às 18h30 Nazarin de Luis Buñel.
Nazarin é um humilde padre que vive e compartilha sua pobreza com os necessitados que moram perto da Pousada de Chanfa. Após proteger uma prostituta que provocou um incêndio, é obrigado fugir da cidade.

Já não creio no progresso social. Só posso acreditar em alguns poucos indíviduos excepcionais de boa fé, ainda que fracassem, como Nazarin. Luis Buñel

Nesse blog aqui, vocês encontram um estudo sobre a relação de Nazarin e outros filmes de Buñel com a temática religiosa.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Tosca, opéra de Puccini




Quinta feira é dia de Cinema Italiano em parceria com o Centro Di Cultural Italiana. Hoje, dia 08/10 o Cineclube FCB exibe Tosca, de Benoit Jacquot. A sessão começa às 18h30.


A ópera de Giacomo Puccini tem três atos. No primeiro, o pintor Mario Caravadossi (Roberto Alagna) dá refúgio a um prisioneiro político e não informa o fato à bela prima, Dona Tosca (Angela Gheorghiu), sua amante ciumenta, enquanto o policial Scarpia (Ruggero Raimondi) suspeita do artista e faz com que Tosca desconfie dele. No segundo ato, Mario está preso e é conduzido por um auxiliar de Scarpia, que afirma ser seu dever matar o pintor mas que apenas simulará sua morte caso Tosca se entregue a ele. No terceiro ato, Tosca surge para seu amante e lhe diz que apunhalou Scarpia e que o seu fuzilamento será uma simulação. No entanto, uma grande tragédia acontece.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Plurais, Paulo Roberto Pugialli



Paulo Roberto Pugialli (foto) abre a exposição Plurais quarta-feira (7), às 19 horas, na Fundação Cultural Badesc. O artista denomina a coleção de pinturas-objeto. São imagens em absoluta desordem, da concepção visual ao suporte das telas.A arte de Pugialli está entranhada da sua própria maneira de viver. O artista é um nômade que vai adicionando referências e estabelecendo relações com o ambiente por onde tem vivido. Ele não acumula nada em sua vivência, nem sua própria obra. Seu acervo está em um microcomputador.No projeto da exposição para a Fundação Cultural Badesc, Pugialli exibe uma sequência no qual "a proposta curatorial é de alterar as relações espaciais do volume da pintura e do local expositivo, procurando alterações da situação limite entre o espectador, a estrutura pictórica e o lugar", descreve o artista plástico e gravador Nelson Hohmann.São obras que expõem o visitante a uma leitura movediça. Nas telas do artista é possível visualizar a retória da desordem. "Por mais que a sociedade, as autoridades, tentem organizar a vida, a desordem tem um poder maior e se estabelece", diz o artista. A pluralidade da linha e da forma das pinturas-objeto expõe confiança e cilada, e conduzem o espectador a explorar uma geometria do insconsciente. São caminhos muitas vezes estabelecidos pelas próprias dobras das telas que sugerem outras leituras das imagens.Segundo o artista plástico José Maria Dias da Cruz, a obra de Pugialli "está em consonância com as mais avançadas pesquisas da arte contemporânea internacional, ampliando os conceitos de linha, superfície e ritmo". O artista estudou artes plásticas na Escola de Artes Visuais do Parque Lage e no Museu de Arte Moderna, no Rio de Janeiro, e no Museu da Gravura da Cidade de Curitiba. Em 1998 recebeu o prêmio principal no 55º Salão Paranaense. Sua obra está representado em coleções particulares e públicas no Brasil e no exterior. Pugialli foi selecionado pela comissão do edital de arte da Fundação Badesc, que escolhe seis exposições por ano de projetos de todo o Brasil. Além das seis exposições selecionadas, há ainda mais um artista convidado, que em 2009 foi Walmor Corrêa.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A Ilusão Viaja de Trem, Ciclo Buñel




Em outubro o Instituto Cervantes traz ao Cineclube FCB um ciclo dedicado ao roteirista e diretor espanhol Luis Buñel.

O primeiro filme, A Ilusão Viaja de Trem (1953), será exibido nesta quarta-feira às 18h30.Trata-se de um road movie no qual o cineasta destila sua visão anárquica da sociedade. Ao saberem que o bonde 133, no qual trabalharam durante toda a vida, será retirado de serviço, dois amigos ficam bêbados e decidem sequestrá-lo. É o começo de uma jornada inesquecível.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Hoje o Cineclube FCB recebe Mostra 20 anos de Funcine



Editais de produção, apoio a festivais, e empréstimo de equipamentos são alguns das políticas desenvolvidas pelo Fundo Municipal de Cinema de Florianópolis (Funcine), que comemora aniversário de 20 anos no dia 18. Para esta semana, está prevista uma mostra de curtas de segunda a sexta-feira (14 a 18), às 19 horas, no Centro, Lagoa, Armação e Trindade.Serão exibidos 18 filmes, a maioria com o selo do Funcine, mas foram incluídos também curtas de diretores que estão ligados à gênese do Fundo, como uma forma de homenagear àqueles que participaram da luta pela criação do principal órgão municipal de cinema.

Aqui na Fundação Cultural Badesc o tema da sessão será o ecletismo, a mistura de gerações de diretores, como um olhar para o passado e o futuro do cinema catarinense.
A sessão nesta terça-feira, 15, começa às 19h.
Programação:
Manhã de Zeca Pires e Noberto Depizzolatti (Foto)
Nem o Céu Nem a Terra de Isabela Hoffmann
Desterro de Eduardo Paredes
Quem disse que eu to indo pra casa? Marco Stroisch

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

5 Court-métrages Resnais



Hoje, dia 14 às 18h30, será exibido no Cineclube FCB uma coletanêa de curtas-metragens de Alain Resnais cedidos pela Aliança Francesa. Entre eles, Noite e Neblina, um documentário de 1955 que filma os campos de concentração anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial.
O discurso do filme é construído a partir desse distanciamento temporal.
A programação de hoje se completa com os curtas: Guernica, As Estátuas Também Morrem,
O Canto do Estireno, Toda a Memória do Mundo.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Semana Completa com Cinema

Semana que vem tem cinema todos os dias na Fundação Cultural Badesc.
Segunda Feira é dia de Cinema Francês em parceria com a Aliança Francesa. No próximo dia 14 será exibido uma coletanêa de 5 curtas metragens de Alain Resnais: Guernica, As Estátuas também morrem, Noite e Neblina, O Canto do Estireno, Toda a Memória do Mundo.
Na Terça-Feira, dia 15 às 19h, o Cineclube FCB receberá a Mostra de Curtas comemorativa de 20 anos do Funcine.
Programação:
Manhã, de Zeca Pires e Noberto Depizzolatti,
Nem o Céu, Nem a Terra, de Isabela Hoffmann
Desterro, de Eduardo Paredes
Quem disse que eu to indo pra casa? Marco Stroisch
Já na Quarta-Feira o Instituto Cervantes na FCB o filme Don Quixote de Orson Welles, na Quinta-Feira continua o ciclo Roberto Benigni com o filme O Monstro. Na Sexta-feira O Chá, Cinema e Cultura promovido pela Cultura Inglesa de Florianópolis e pela FCB nesse mês de setembro irá exibir Bent, de Sean Mathias. E como convidado para o debate o Prof Leon de Paula.

Programe sua semana chuvosa com bastante cinema e fique atento ao blog que a patir de Segunda-Feira trará mais informações sobre cada sessão.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Pinocchio, de Roberto Benigni




Quinta-feira é dia de Cinema Italiano no Cineclube FCB em parceria com o Centro di Cultura Italiana. Amanhã, dia 10, será exibido dentro do ciclo Roberto Benigni, Pinóquio.
Assim como em seus outros filmes, Benigni se envolve no processo por completo, é co-roteirista, diretor e também protagonista.
Sinopse: Gepeto decide fazer um boneco de madeira para lhe fazer companhia. Para satisfazer seu desejo, uma fada dá vida a Pinóquio, o boneco de madeira que se envolve em diversas confusões.

A sessão começa às 18h30, bom filme.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Sessão lotada de Entrelinhas


Foto: Fifo Lima


Foto: Felipe Obrer

Na última sexta-feira a FCB recebeu no espaço a estréia do documentário catarinense, Entrelinhas. Bastante gente compareceu ao evento e as duas sessões lotaram.
Na primeira foto, Pedro MC, que em parceria com Letícia Cardoso co-dirigiu o doc, conversa com o público e na outra foto a confraternização após o debate.
Clicando aqui, você confere uma crítica a respeito de Entrelinhas, publicada no blog Cine-Luz de Fifo Lima.

El Cid



Amanhã, dia 9, o Cineclube FCB exibe em parceria com o Instituto Cervantes o filme El Cid, com Sophie Loren (foto) e Charlton Heston. Dirigido por Anthony Mann, o filme conta a história do lendário El Cid. No século XI o herói cristão procurar celebrar a paz entre os membros da realeza visando promover a unificação da Espanha que na época era dividida entre cristãos e mouros (mulçumanos).

A sessão começa às 18h30, bom filme.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

É hoje a estréia de Entrelinhas na FCB



A relação da equipe com pacientes do Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico de Santa Catarina. Como dispositivo a atenção flutuante, como investigação as relações do inconsciente.

Um documentário de Letícia Cardoso e Pedro MC.
O evento começa às 19h com a exibição e logo após um debate com Jósé Geraldo Couto e Maria Cristina R. Pereira. Haverá uma outra sessão às 21h.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Nova Sessão na FCB: Cinema Italiano



A Fundação Cultural Badesc inaugura um novo cineclube. Além das cinematografias de língua francesa, espanhola e inglesa, a fundação vai abrigar também um cineclube de idioma italiano, em convênio com o Centro de Cultura Italiana. A estréia é quinta-feira, dia 3, às 18h30.
O ciclo de abertura vai homenagear o ator e diretor Roberto Benigni. Serão exibidos quatro títulos, realizados entre 1988 e 2005. A Vida é Bela, seu filme mais famoso, vencedor de Melhor filme Estrangeiro em 1998, não entra em cartaz. Estão previstos títulos menos conhecidos do público brasileiro, mas todos com direção e atuação de Benigni. O filme de abertura é O tigre e a neve, de 2005, sobre a guerra do Iraque. Na segunda semana, entra em cartaz Pinóquio, de 2003. Completam o ciclo O monstro, de 1994, e O pequeno diabo, de 1988.

Já o cineclube em parceria com a Aliança Francesa, com sessões às segundas-feiras, apresenta este mês, no dia 14, cinco curtas de Alain Resnais: Guernica, As estátuas também morrem, Noite e neblina, o canto do Estireno e Toda memória do mundo. Dia 20, entra em cartaz a sessão Decididamente Animados, com 12 curtas de diversos diretores franceses. O ciclo é fechado no dia 28, com o drama Nas Cordas, de Magaly Richard-Serrano.

O Cinema Espanhol, exibido às quartas, tem programado quatro filmes de épocas e diretores variados: El Cid para o dia 9; Dom Quixote dia 16; Veneno da Madrugada, dia 23, e Antes do Anoitecer, dia 30.

O cineclube Cinema Chá e Cultura, de língua inglesa, que ocorre uma vez por mês, vai exibir Bent, baseado na peça homônima de Martin Sherman e dirigido por Sean Mathias. No elenco, uma presença inusitada, o vocalista do Rolling Stones, Mick Jagger.

Com a inauguração do cineclube em parceria com o Centro de Cultura Italiana, sobe para oito o número de cineclubes que funcionam no Centro Histórico de Florianópolis. A região do entorno da Praça 15, originalmente espaço das salas de cinema de rua até o início dos anos 90, está de volta às origens.

Além dos quatro cineclubes que funcionam na Fundação Badesc, há outros quatro.A região abriga ainda o Cineclube Ieda Beck da Cinemateca Catarinense, Cinema Falado do Museu Victor Meirelles, Cinearth do Museu da Escola Catarinense, e o Cineclube Brde. Em todas as salas, o ingresso é gratuito.

CICLO ROBERTO BENIGNI
Dia 3O tigre e a neve (La tigre e la neve, 2005). O poeta e professor universitário Attilo De Giovanni (Roberto Benigni) vive num mundo distante da realidade, em meio aos sonhos de conquistar a mulher que ama. Em 2003, logo depois de lançar o livro de poesia "O Tigre e a Neve", a realidade do mundo finalmente o atinge quando descobre que a mulher de seus sonhos foi ferida num dos primeiros bombardeios americanos sobre o Iraque. Ele consegue achá-la em Bagdá e se envolve então em inúmeras dificuldades para conseguir encontrar, em uma cidade destruída, os medicamentos de que ela precisa.

Dia 10 Pinóquio (Pinocchio, 2003). Gepeto (Carlo Giuffrè), um solitário carpinteiro, decide fazer um boneco de madeira para lhe fazer companhia. Com pena da solidão de Gepeto, a Fada Azul (Nicoletta Braschi) decide satisfazer seu desejo e dá vida a Pinóquio (Roberto Benigni), o boneco de madeira. Porém logo Pinóquio busca se tornar um garoto de verdade, o que faz com que ele se envolva em diversas confusões.

Dia 17 O montro (Il mostro, 1994). Um maníaco sexual e serial killer está à solta, mas erradamente a polícia suspeita de Loris (Roberto Benigni), um malandro de 5ª categoria que só rouba supermercados e não paga seu aluguel. Jessica Rossetti (Nicoletta Braschi), uma policial, recebe a missão de, disfarçada, conhecer Loris e, orientada por Jolanda Taccone (Dominique Lavanant), um psicólogo da polícia, provocar sexualmente Loris de todas as formas para despertar o “monstro” que existe nele. Mas as coisas não acontecem conforme o planejado.

Dia 24 O pequeno diabo (Il piccolo diavolo, 1988). Roberto Benigni é o diabo em pessoa! Com 400 anos de idade, ele está cansado de sua monótona vida no inferno. Na busca de novos "ares", o pequeno e ingênuo diabo resolve encarnar-se em uma mulher gorda chamada Giudutta. Para ajudá-la, o padre provinciano Maurice (Walter Matthau - Dois Velhos Rabugentos) é chamado e realiza o exorcismo. Mas o maligno ser está relutante em retomar para "casa" e por isso, resolve esconder-se na igreja, decidido a atormentar a vida do pobre padre. Passando-se por seu sobrinho, este ser atrapalhado e falador que não conhece as malícias e os costumes do mundo dos homens.

Café com Assunto - Vera Sabino




A artista Vera Sabino participa hoje (quarta, dia 2), 18h30, do Café com Assunto, na Fundação Cultural Badesc, onde é realizada a exposição A Casa da Criação, com uma réplica de seu ateliê. Para falar da obra de Vera foi convidada a professora Micheline Raquel de Barros, que defendeu em 2006, na Universidade do Estado de Santa Catarina, a dissertação "As multifaces do retrato: A relação vida e obra em Vera Sabino".Em seu estudo, Micheline analisa retratos de mulheres recorrentes na obra de Vera, como as bruxas, as rendeiras, as sereias e as madonas, analisando o sagrado e o profano na gramática da artista. O Café com Assunto ocorre no auditório da fundação, mas os espectadores serão também convidados a visitar o ateliê de Vera montado no pátio do casarão.Com 16 metros quadrados, a pequena edificação é dotada de telhado e as paredes são plotagens de fotografias do ateliê original, localizado nos altos do morro da avenida Mauro Ramos. No interior da Casa da Criação é exibido um vídeo em que a artista fala de uma vida inteiramente ligada à arte. Será servido um café para os participantes.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Entrelinhas




Vencedor do Prêmio Funcine, o documentário Entrelinhas, de Letícia Cardoso e Pedro MC, e com montagem de Yannet Briggiler, estreia dia 4 de setembro na Fundação Cultural Badesc.

O foco da narrativa é o diálogo da equipe de produção com o imaginário de pacientes internados no Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico da Penitenciária de Florianópolis.

Haverá duas sessões, a primeira às 19h, seguida de um debate com os convidados José Geraldo Couto, crítico de cinema da Folha de S.Paulo, e Maria Cristina Riesinger Pereira, médica, picoterapeuta junguiana e antropóloga. A segunda sessão será às 21h, ambas com entrada livre.

Para realizar o doc, Letícia e Pedro frequentaram o hospital entre o final de 2008 e junho de 2009, capturando cerca de 25 horas de material bruto. O dispositivo de filmagem foi baseado num conceito definido por Freud como "atenção flutuante", que consiste numa escuta sem preocupação imediata com o que poderá ser retido da conversa.
Dessa forma, os diretores se colocaram numa situação de aleatoriedade desejada, sem entrevista pré-marcada e abrindo espaço à espontaneidade das falas. Considerados esquizofrênicos, os próprios pacientes/personagens abordavam a equipe, e quatro deles se destacaram pela intenção e intensidade das conversas.
Letícia Cardoso e Pedro MC pesquisaram também o trabalho da médica psiquiatra brasileira Nise da Silveira (1906-1999), que rompeu com as formas agressivas de tratamento do doente mental no país, sugerindo religação de vínculos com a realidade por meio da expressão simbólica e a criatividade.
Para a edição, os realizadores dividiram a tela em planos que não ficam necessariamente em sincronia, brincando com a simultaneidade no tempo dos acontecimentos. As linhas que separam os planos sugerem dicotomias, inter-relações de antíteses sonoras, e contrastes entre o cárcere e a liberdade.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Tai Chi Chuan na FCB



Há vagas para as turmas de Tai Chi Chuan da FCB. As aulas acontecem as terças e quintas em dois horários: 13 30 às 14 30 ou 14 30 às 15 30. Há vagas também para a turma dos cegos que se reune nos mesmos dias, das 15 30 às 16 30.
As aulas são gratuitas e oferecidas pela Prof Jaqueline Fernandes em parceria com a FCB.

Inscrições pelo telefone 3224-8846 ou pelo email fundacaoculturalbadesc@gmail.com.

Na foto, Fifo Lima registra a turma aproveitando o dia ensolarado para praticar Tai Chi Chuan no jardim do casarão.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Construindo um Ateliê

Amanhã, dia 26 às 19h, inaugura a exposição A Casa de Criação de Vera Sabino. A montagem da casa que teve início no último fim-de-semana recebe os retoques finais nessa terça feira ensolarada. Abaixo fotos do processo de "construir" um ateliê.






Mesmo Amor, a Mesma Chuva


O cineclube FCB exibe nessa quarta-feira(26/08) em parceria com o Instituto Cervantes mais um filme do ciclo Cineastas Argentinos.
Mesmo amor, a Mesma Chuva, é anterior ao consagrado O Filho da Noiva, primeiro filme que o diretor Juan José Campanella trabalha com o ator Ricardo Darín (foto).
Abaixo um link de uma crítica do filme publicada na revista online Contracampo.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Madame Brouette




Segunda Feira (24/08) às 18h30, o cineclube FCB exibe em parceria com a Aliança Francesa o filme Madame Brouette.

Sobre o filme: De manhã cedinho no bairro Niayes Thiokeert, "Colina das perdizes" ouvem-se tiros. Naago cai, perfurado de balas. Aquela que todos chamam de Madame Brouette confessa que matou seu marido. Mas no bairro as mulheres se juntam para elogiar essa mulher jovem divorciada, mãe de uma menina, vendedora ambulante de frutas e legumes.O filme segue o caminho inverso da história, para descobrir o que pode tê-la levado a tal gesto.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Vera, 40 anos

Foto: Martha Dias

A Fundação Cultural Badesc inaugura na quarta-feira (26) uma exposição na área externa do casarão. No pátio, em 16 metros quadrados, será reproduzido o ateliê de Vera Sabino. Denominado A Casa da Criação, o projeto comemora os 40 anos de pintura da artista plástica. Idealizado pela artista Lena Peixer, A Casa da Criação foi concebida pelos também artistas Ivan de Sá e Maurício Muniz. A pequena edificação vai ser dotada de telhado e as paredes são plotagens de fotografias do ateliê de Vera, localizado nos altos do morro da avenida Mauro Ramos e inscrustado na Mata Atlântida. Lá do alto, o ponto de vista é a baía sul e os prédios da cidade. Além das visões da paisagem urbana e natural de Florianópolis, nas fotos também há imagens do quintal de Vera, um espaço repleto de vasos com flores. No interior do ateliê, quadros da artista e do marido Semy Braga e de seus contemporâneos, como Sílvio Pléticos, Sueli Beduschi, Aldo Beck, Domingos Fossari e do tapeceiro Pedro Paulo Vecchietti, entre outros.Na Casa da Criação vai ser exibido um vídeo realizado pelo cineasta Zeca Pires e pela atriz e diretora de teatro Carmen Fossari, autora do poema Na Casa de Criação: Vera Sabino, agregado ao projeto. No documentário, Vera fala de uma vida inteiramente ligada à arte. . Em seu repertório plástico, ela tem uma afeição pelas imagens de santos, flores, vasos, mulheres, e peixes, sempre em tom onírico. Entre os santos, São Francisco de Assis e Santo Antônio tem preferência especial. Como começou a carreira na infância, ela já pinta há mais de 40 anos, mas seu marco é 1969, data da primeira exposição. A artista calcula que já pintou mais de 8 mil telas, mas a partir de 1984, por influência do artista plástico Hassis, Vera passou a fazer uma contagem de sua obras, que também podem ser conferidas no site http://www.verasabino.com/.

O que: A Casa da Criação de Vera Sabino.
Quando: Abertura dia 26 de agosto às 19 horas. Visitação de segunda a sexta, das 8 às 18 horas.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Plata Quemada no Cineclube FCB





Devido a imprevistos o filme que será exibido amanhã (19/08) na FCB será Plata Quemada e não Mesmo Amor, a Mesma Chuva como havia sido divulgado anteriormente.

O Cineclube FCB em parceria com o Instituto Cervantes traz o filme Plata Quemada de Marcelo Piñeyro. A sessão começa às 19h.

Sobre o filme: Dois matadores inseparáveis tomam parte de um grande assalto ao caminhão de pagamentos, que carrega 7 milhões. Porém, o que parecia ser um trabalho simples se transforma em um massacre, fazendo com que eles precisem fugir para o Uruguai. Escondidos por um mafioso local, eles ficam então à espera de documentos fraudados para que possam fugir para o Brasil.

Mesmo Amor, a Mesma Chuva


O cineclube FCB exibe nessa quarta-feira(19/08) em parceria com o Instituto Cervantes mais um filme do ciclo Cineastas Argentinos.
Mesmo amor, a Mesma Chuva, é anterior ao consagrado O Filho da Noiva, primeiro filme que o diretor Juan José Campanella trabalha com o ator Ricardo Darín (foto).
Abaixo um link de uma crítica do filme publicada na revista online Contracampo.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

O Blog FCB recomenda...

A partir de hoje o blog FCB irá divulgar links que possam interessar nossos leitores. A web, um espaço tão rico para informar e também para inspirar, não deve esgostar referências para essa nova tag.
A primeira recomendação é o blog Cultura e Mercado.
O blog é editado pelo pesquisador Leornardo Brant e tem como intuito discutir políticas culturais, como diz o slogan: "Democracia se faz com arte."
O endereço também reune informações sobre diversos editais culturais que são lançandos no país, além de uma agenda cultural e de um espaço dedicado a Lei Rouanet.
Para começar a navegação indico o post Arte e Burocracia de Aninha Franco nos colocando a pensar sobre o MinC visando a próxima eleição, que já bate à porta.
Já conheciam o blog? Gostaram da leitura?

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Decididamente Animados



Na próxima segunda-feira o Cineclube FCB em parceria com a Aliança Francesa promove mais uma sessão "Decididamente Animados". A mostra apresenta diferentes seleções de curtas em animação promovendo a tradição francesa no estilo. O tema do ciclo de agosto é “Não somos máquinas” (On N'est Pas Des Machines - França, 2008).São filmes que trazem uma reflexão sobre a tecnologia e o mundo contemporâneo. Diferentes situações da vida moderna e nossas reações. Na foto o curta "Bob" do realizador Jean Pierre Poirel. A sessão, no dia 17 de agosto, começa às 18h30 na FCB.

Programação:
O desafio à Morte (El Desafio A La Muerte)
De Juan Pablo Zaramella (3 Min).
A Boneca de Berni (Berni’s Doll)
De Yann Jouette (11 Min).
(Workin’ Progress)
De Gabriel Garcia, Benjamin Fligans, Geordie Vandendaele, Benjamin Flinois(4 Min).
Bob
De Jean-Pierre Poirel (4 Min)
O Processo (Le Processus)
Xavier De L’hermuzière. Philippe Grammaticopoulus. (8 Min).
O Moinho (Le Moulin)
De Florian Thouret (6 Min).
O Programa do Dia (Programme Du Jour)
De Samantha Duris, Loïc Tari (9 Min).
Sem Nada Por Baixo (Sans Dessous Dessous)
De Dewi Noiry (4 Min).
Dynamo
De Matthieu Goutte, Benjamin Mousquet, Fabrice Le Nezet (6 Min).
Le Faux Pli
De François-Xavier Lepeintre, Antoine Arditti. Audrey Delpuech (6 Min).
Tong
De David Cellier, Florent Limouzin, Arnaud Real (9 Min).

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O que você faria? Marcelo Piñeyro



O filme que será exibido nessa quinta-feira (12/08) às 19h em parceria com o Instituto Cervantes é O que você faria? de Marcelo Piñeyro (foto) que dá continuidade ao Ciclo Cineastas Argentinos. Trata-se de uma co-produção com a Espanha em que o diretor trabalha o mundo das corporações. Abaixo os links para duas críticas publicadas nas revistas online de cinema, Cinética e Contracampo.

Revista Cinética -Tudo por dinheiro?
Revista Contracampo - O Método

Sinopse: Sete executivos disputam uma única vaga numa empresa. Eles chegam para o teste de seleção na mesma manhã que Madri está sendo convulsionada por marchas de protesto contra a globalização e a política monetária do FMI, que ali realiza sua reunião. Logo são informados de que serão submetidos a uma seleção diferente da habitual - o chamado Método Grönholm. O grupo é deixado a sós numa sala fechada e, a partir de uma série de testes propostos pela empresa via computador, começam a interagir. São sete personalidades bem diferentes, mas, da jovem segura de si ao senhor machista, no começo todos acreditam ter o controle total sobre seu comportamento e suas emoções. Porém os jogos os colocam diante de várias situações-limite e, sabendo que estão sendo constantemente observados e avaliados, chegam a um nível de tensão insuportável. O resultado são embates brilhantes - alguns dolorosos, outros bem cômicos.
Afinal, ninguém quer ser um dos seis a perder a disputa.

Casa da Criação - Vera Sabino

Esse mês, excepcionalmente, a FCB inaugura duas exposições. Semana passada teve a abertura da exposição Teleplastias do Walmor Corrêa que permanece no espaço Fernando Beck até o dia 30 de setembro.
No dia 26 de agosto, a artista plástica catarinense Vera Sabino inaugura uma mostra comemorativa de 40 anos de arte. A Casa da Criação é uma réplica do atelier da artista que vai ser exposta no jardim da FCB.
A montagem e a realização ficaram a cargo dos artistas Maurício Muniz e Ivan de Sá. No interior da casa será exibido um documentário dirigido por Carmen Fossari e Zeca Pires. O nome da mostra, Casa da Criação, foi inspirado no poema de Carmen Fossari.
Abaixo uma foto do espaço que vai receber o reduto criativo de Vera Sabino e a maquete do projeto.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Cineclube - Cinema Francês



A Fundação Cultural Badesc exibe hoje, em parceria com a Aliança Francesa, o filme Poderá ser amor?, do diretor Pierre Jolivet.

Sobre o filme: Lucas (Vincent Lindon), 43 anos, um homem de negócios divorciado, sente-se irresistivelmente atraído por Elsa (Sandrinne Bonnaire), 38 anos, ceramista muito na moda, à qual encomendou um fresco para a fachada dos seu edifício de escritórios.Intrigado pelo facto de esta jovem e bela mulher se encontrar descomprometida, Lucas decide pedir ao detective privado da sua empresa para investigar a vida particular de Elsa.

O que? Poderá ser amor? Pierre Jolivet (França, 2007) Duração 90'.
Quando? 10/08 às 18h30.
Onde? Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis, tel.: (48) 3224-8846.
Quanto? Entrada franca.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Orson Welles no Cinema, Chá e Cultura



Othello, vencedor da palma de ouro em 1952, é o longa em cartaz no cineclube Fundação Cultural Badesc/Cultura Inglesa.
Dirigido por Orson Welles, que também atua como protagonista, a obra foi, à época, a 12ª versão levada ao cinema de uma das mais famosas peças de Shakespeare, que trata de inveja e ciúme. Filmado na Itália e Marrocos, o filme demorou mais de dois anos para ser concluído e nele o renomado diretor de Cidadão Kane continua dando mostra de sua competência com a linguagem cinematográfica e compreensão da obra teatral. Dentre as várias abordagens da peça e do filme, foi escolhida a reflexão filosófica sobre o ciúme, a partir das ações de Otelo (Welles), Desdêmona (Suzanne Cloutier) e Iago (Michael Macliammoir).
A convidada desta sessão é a filósofa Maria de Lourdes Alves Borges, graduada em física pela UFRGS, especialização em DEA Philosophie pela Université Paris 1 (Panthéon-Sorbonne), mestrado e doutorado em Filosofia pela UFRGS, pós-doutorado pela University of Pennsylvania e pela Humboldt-Universitat zu Berlin. Atualmente é professora do departamento de filosofia e secretária de cultura e arte da UFSC. Dentre suas publicações, há vários textos sobre as emoções em Kant, e o livro "Amor", editado pela Brasiliense.
Promovido pela Fundação Cultural Badesc e pela Cultura Inglesa de Florianópolis, a sessão mensal é denominada Cinema, Chá & Cultura. É um projeto dedicado à exibição de filmes relativos a obras literárias da tradição anglófona. Os encontros são uma oportunidade de exibir filmes e de promover a discussão sobre as relações entre literatura (principalmente a dramática) e suas adaptações para o cinema. A atividade começa às 18h com uma conversa sobre a peça e o filme, durante a qual os participantes poderão se servir de chá, feito ao modo inglês. Em seguida ocorre a exibição de Othello, legendado e em formato DVD.

O que? Othello, Orson Welles, (USA,1952, Versão Restaurada)
Quando? 07/08 às 18h.
Onde? Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis,
tel.: (48) 3224-8846.
Quanto? Entrada franca.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Café com Assunto




Amanhã às 18h30 acontece a segunda edição do Café com Assunto.O encontro, que é mediado pelas arte-educadoras Fabíola Scaranto e Monique Bens, tem como objetivo discutir possibilidades de inserir exposições de artes visuais no planejamento de aula do professor.
Quais as abordagens possíveis? Que focos a mediação deve tomar para atender a necessidades específicas? Como o professor poderá prolongar a experiência da visitação em sala-de-aula?Acreditamos que o processo de mediação deva ser participativo, servindo de instrumento aos grupos visitantes e como meio para discussões múltiplas. Nesta edição teremos a presença do artista Walmor Corrêa, que expõe na Fundação Cultural BADESC Teleplastias. O encontro será acompanhado de um aconchegante café com biscoitos. Contamos com a sua participação.

O que? Café com Assunto: Exposição Teleplastias, Walmor Côrrea
Quando? 06/08 às 18:30h
Onde? Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis,
tel.: (48) 3224-8846.
Quanto? Entrada franca

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Cineclube - Cinema Espanhol


Amanhã começa um novo ciclo de cinema na Fundação Cultural Badesc em parceria com o Instituto Cervantes. O tema desse mês é Cineastas Argentinos: Campanella/Piñeyro.
O filme inaugural é Clube da Lua (2004), de Juan José Campanella, que dirigiu o premiado O Filho da Noiva(2001). O cineasta, que também trabalha na TV americana dirigindo episódios de 30Rock e Law and Order, lança um novo longa em 2009 chamado El secreto de sus ojos, ainda sem título em português.
Em Clube da Lua, Juan José Campanella volta ao passado focalizando os dias de glória de um clube de dança de Buenos Aires na década de 40. Porém, em 1990, a crise financeira fez com que essas agremiações começassem a fechar suas portas. Ameaçado pela falta de clientes, o Avellaneda enfrenta a decadência. À beira da falência, os descendentes de seus fundadores se unem para evitar o pior: a transformação do clube em um cassino.
O que? Clube da Lua, Juan José Campanella (Argentina, 2004)
Quando? 05/08 às 19h.
Onde? Fundação Cultural Badesc. Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis,
tel.: (48) 3224-8846.
Quanto? Entrada franca.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Bastidores Teleplastia

Desde sexta-feira o espaço Fernando Beck, onde ocorrem as exposições da FCB, passa por uma transformação para dar lugar à exposição Teleplastia do artista catarinense Walmor Corrêa, que abre para visitação na quarta-feira.
Veja nas fotos o trabalho de montagem e o clima de bastidores.